28 de ago de 2011

Amor a Toda Prova


Tenho gostado cada vez mais de Steve Carell. A primeira vez que ele me chamou a atenção foi em "Pequena Miss Sunshine" e depois tenho gostado de quase todos os filmes que assisto com ele. Aqui ele está muito bem, alternando entre o drama e a comédia. O resto do elenco também é composto por outros atores que adoro e que estão igualmente bem: a sempre impecável Julianne Moore, o excelente Ryan Gosling e a impagável Marisa Tomei (um papel pequeno mas quando ela aparece é risada na certa). O filme não tem somente um elenco impecável, o roteiro é divertido e vale a pena para quem curte comédias românticas. Aliás, essa é daquelas que defendem que existem "almas gêmeas". Descontando o romantismo exagerado, o filme está acima da média.

Minha Cotação: * * * *


http://noticias.r7.com/blogs/rubens-ewald-filho/2011/08/25/estreia-amor-a-toda-prova/


25 agosto 2011 às 06:00


Estréia – Amor a Toda Prova
por Rubens Ewald Filho

Já reclamei antes do título nacional que é genérico e bobo em vez de traduzirem o original que é instigante: Louco, Estúpido Amor! E volto a reafirmar que esta é minha comédia adulta favorito deste ano. A mais inteligente e original que encontrei até agora (felizmente a maior parte da crítica americana concordou comigo, mas o filme não estourou nas bilheterias - custou 55 milhões e faturou 50 milhões - como merecia).

O que é lamentável. Talvez porque o filme não teve a promoção que merecia (também aqui podia ter sido melhor e mais promovido). Quem o realizou foi a mesma dupla de O Golpista do Ano, I Love You Phillip Morris (com Jim Carrey) trabalhando em cima de um roteiro de Dan Fogelman (que antes, estranhamente, fez basicamente animações como Carros 1, Enrolados, Bolt, a comédia Fred Claus).
julianamorre1 Estreia   <i>Amor a Toda Prova</i>
Mas há um pouco de infantil na maneira em que são colocados os conflitos amorosos em três faixas distintas de romance. Começa com um casal de meia idade jantando em um restaurante, o marido Cal (Steve Carell, de The Office, em seu melhor momento como ator, interiorizado, reparem em seus olhos tristes) tem uma surpresa de ouvir ainda durante os letreiros que sua mulher Emily (Julianne Moore) quer o divórcio! Não lhe conta, porém que está sendo cortejada por um colega de escritório (Kevin Bacon).

Emily foi a sua única namorada e a notícia o deixa arrasado. Não sabe como recomeçar ou o que fazer. Passa a frequentar bares e tentar conquistar garotas. É assim que chama a atenção de um rico e jovem conquistador Jacob (Ryan Gosling, para mim o melhor ator de sua geração, lembrando um pouco Edward Norton, mas muito superior e mais versátil). Este se torna então seu mentor, que vai lhe ensinando os truques do ofício (uma reversão, já que normalmente o que sucede é o oposto, o mais velho que é o professor). Como vestir, como agir, como se comportar.
Steve Carell Ryan Gosling Estreia   <i>Amor a Toda Prova</i>
Por sua vez, Jacob tem seus problemas quando encontra uma jovem que o intriga e desafia, Hannah (Emma Stone, futura parceira do novoHomem Aranha e que me conquistou no filme A Mentira. Está também no sucesso americano Vidas Cruzadas). E como contraponto de tudo isso, temos ainda o amor juvenil, o filho mais velho do casal Cal e Emily, Robbie (Jonah de Zathura) está perdidamente apaixonado por uma colega mais velha, Jessica (Analeigh Tipton), que por acaso também é sua babá (e ainda por cima apaixonada pelo pai dele!).

O filme é basicamente em cima desses desencontros amorosos. Mas sua maneira de conduzir é diferente, com falas mais longas, quase monólogos (me lembrando o estilo do francês Bertrand Blier), não ficando só na piadinha fácil, mas também mexendo em valores e sentimentos mais próximos do espectador. Não se pode revelar algumas reviravoltas, mas se pode queixar do final convencional (mas essa é uma das praxes da comédia romântica tradicional, desde o começo sabe-se o que esperar)
Eu embarquei inteiramente no filme mesmo em personagens secundários (Marisa Tomei está especialmente bem, mais uma vez, como uma mulher insegura com quem Cal tem um encontro sexual e que depois reaparece na trama). Fiquei surpreso em ver Gosling, um daqueles atores empenhados, que fazem sempre personagens difíceis, aparecer aqui todo bombado com o peitoral desenhado e sempre convincente porque o papel exige.

O longa se difere da média do gênero simplesmente porque é mais humano e sincero. Vale a pena conhecer.



FICHA TÉCNICA

Diretor: Glenn Ficarra, John Requa
Elenco: Ryan Gosling, Emma Stone, Steve Carell, Kevin Bacon, Julianne Moore, Marisa Tomei, John Carroll Lynch, Josh Groban
Produção: Steve Carell, Denise Di Novi
Roteiro: Dan Fogelman
Fotografia: Andrew Dunn
Duração: 118 min.
Ano: 2011
País: EUA
Gênero: Comédia
Cor: Colorido
Distribuidora: Warner Bros.
Estúdio: Carousel Productions
Classificação: 12 anos


2 comentários:

  1. Tá tudo escrito em branco auhahu! Eu assistí hoje o filme... nem sei o que dizer na verdade auhau! Assistí porque não tem nem como dizer "não" para um filme com Julianne Moore ne? Maravilhosa! Mas não esperava muito desse filme então... até que foi bom. Não dos melhores... mas bom!

    ResponderExcluir
  2. Huahuahua... Agora que eu vi. Valeu, Mimi. Eu também sou suspeito, adoro a Julianne Moore, e adoro comédias românticas, então curti pra caramba.

    ResponderExcluir