9 de jul de 2012

O Espetacular Homem-Aranha


Quando assisti ao trailer de "O Espetacular Homem-Aranha" nos cinemas, achei estranho que o filme recontava a origem desse super-herói, sendo que o outro filme, dirigido por Sam Raimi e estrelado por Tobey Maguire, já fazia isso bem. Ao invés de fazer o Homem-Aranha 4, a Sony anunciou que iria lançar um novo Homem-Aranha, com nova equipe e elenco. Talvez uma boa história possa ser contada várias vezes, desde que se mude algumas coisas. Aqui, por exemplo, o Peter Parker de Andrew Garfield não é tão nerd quanto o de Maguire (anda de skate além de fotografar) e seu interesse romântico não é a Mary Jane, e sim a Gwen Stacy de Emma Stone. As mudanças não param por aqui, algumas para melhor, outras para pior.

No que diz respeito às piores, é preciso abandonar de vez qualquer apelo à verossimilhança no início do filme, quando em particular vemos uma adolescente de 17 anos responsável por uma função de importância em uma empresa, ou o protagonista entrando ridiculamente fácil em áreas secretas e cheias de tecnologia dessa mesma empresa. No que diz respeito às melhores, todo o envolvimento entre Peter e Gwen é desenvolvido de forma interessante e cativante, também em grande parte ao talento de seus intérpretes, e certos detalhes como manter a personalidade secreta do herói são abandonados logo para irmos direto ao que interessa.


Na história, retornamos à origem do Homem-Aranha. Peter Parker, um adolescente no colegial ainda, mas que já revela o gosto pela fotografia, alterna seu interesse por uma colega de classe e pelo passado misterioso do pai, que sumiu há muitos anos.

Como verossimilhança não é mesmo o que se espera de uma história de super-heróis, o filme diverte bastante e tem seqüências de ação bastante empolgantes. Garfield está excelente no papel, cativante, frágil e charmoso na medida certa. Os fãs dos quadrinhos podem reclamar das mudanças, mas novamente é preciso lembrar que adaptações são melhores quando mais criativas, e tendem a ficar burocráticas ou demasiadas respeitosas quando temem as mudanças, como é o caso da adaptação de "Superman Returns" de Bryan Singer. O roteiro de James Vanderbilt ("Zodíaco") em parceira com Alvin Sargent (Homem-Aranha 2 e 3) e Steve Kloves (da série Harry Potter) e a direção de Marc Webb ("500 Dias com Ela") souberam inovar onde foi necessário e não tornaram esse re-boot do Homem- Aranha desnecessário.

Nota: Na sala que eu assisti, no Itaú Frei Caneca, o 3D foi praticamente desnecessário.


COTAÇÃO DO JANELA INDISCRETA: * * * 1/2



FICHA TÉCNICA
Diretor: Marc Webb
Elenco: Andrew Garfield, Emma Stone, Rhys Ifans, Martin Sheen, Sally Field, C. Thomas Howell, Embeth Davidtz, Chris Zylka, Denis Leary, Campbell Scott, Irrfan Khan, Kelsey Chow, Stan Lee
Produção: Avi Arad, Matthew Tolmach, Laura Ziskin
Roteiro: Alvin Sargent, James Vanderbilt, Steve Kloves
Fotografia: John Schwartzman
Trilha Sonora: James Horner
Duração: 137 min.
Ano: 2012
País: EUA
Gênero: Ação
Cor: Colorido
Distribuidora: Sony Pictures
Estúdio: Columbia Pictures / Marvel Enterprises / Marvel Studios / Laura Ziskin Productions
Classificação: 10 anos

2 comentários:

  1. Concordo com quase tudo na crítica. Acho que esse ainda não é o filme definitivo do Homem Aranha, falta uma pitada a mais de rock'n'roll, um melhor aproveitamento da capacidade de "pressentir" do herói e uma roupinha mais legal. Deveriam fazer uma série do herói, no estilo Smallville, seria muito legal. Na comparação, pra mim, o do Sam Raimi está um grauzinho acima, pois é mais artístico e criativo, mas esse diverte bem. O melhor é que filme de super herói agora é quase todo mês. U-hu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto muito do Sam Raimi, mas esse tem uma pegada diferente, então os dois foram válidos. Mas concordo, realmente ainda não foi um filmaço do Homem-Aranha. Filme de super herói agora virou carne de vaca. kkkkk

      Excluir