18 de dez de 2011

Noite de Ano Novo


Já tinha desistido de assistir esse filme, pois tinha lido críticas muito ruins, e não tinha gostado do outro filme desse estilo e com o mesmo diretor, o "Idas e Vindas do Amor". Mas enfim, o filme tem um monte de estrelas famosas que minha mãe - e eu também - gostamos, então a levamos para assistir. E além do elenco carismático (em que se destacam Hilary Swank na trama mais interessante, Sofia Vergara - de Modern Family - hilária, Zac Effrom e minha Glee queridinha Lea Michele), o filme, que é multiplot, tem algumas (diga-se bem, duas ou três, pois a maioria das histórias é um pouco chatinha e previsível) histórias interessantes. E eu consegui me emocionar em alguns momentos. O inverno de Nova Iorque é o pano de fundo, mas realmente fico me questionando porque milhares de pessoas se juntam na Times Square, na noite de Ano Novo, pra ver uma bola brilhante caindo lá no alto.

Minha Cotação: * * *




CRÍTICA - RUBENS EWALD FILHO
Estreia – Noite de Ano Novo

http://noticias.r7.com/blogs/rubens-ewald-filho/2011/12/08/estreia-noite-de-ano-novo/

Noite de Ano Novo Diretor: Garry Marshall. EUA, 2011

Elenco: Sarah Jessica Parker, Josh Duhamel, Robert DeNiro, Halle Berry, Ashton Kutcher, Jon Bon Jovi, Katherine Heigl, Jessica Biel, Zac Effron, Michelle Pfeiffer, Cary Elwes, Alyssa Milano, Common, Seth Meyers, Till Schweiger, Sarah Paulson, Hector Elizondo, Carla Cugino, Sofia Vergara, Lea Michele, James Belushi, Abigail Breslin, Larry Miller, Penny Marshall, Hilary Swank, Kathleen Marshall, Ryan Secrest, Prefeito Bloomberg, Matthew Broderick, John Lithgow.


Nova York raramente esteve tão bonita e fotogênica no cinema quanto neste novo filme, que é uma decorrência direta do sucesso de Idas e Vindas do Amor, que era sobre o Dia dos Namorados (que tinha o problema da data ser em momentos diferentes em cada país). Agora o mesmo diretor Garry Marshall (Uma Linda Mulher) encomendou outro roteiro para a mesma autora Katherine Fugatee o resultado é mais bem amarrado e mais divertido.

Eu pelo menos embarquei sem problemas neste filme festivo, romântico e bem humorado (sem deixar de ter momentos tristes) que reúne um ótimo elenco (incluindo várias de minhas favoritas, como Katherine Heigl, Michelle Pfeiffer - ainda que enfeiada com uma peruca morena; a Lea Michelle de Glee - que tem grande chance no filme, inclusive interpretando em solo, o Aud Lang Syne/Valsa da Despedida).

Desta vez se levando menos a sério (incluindo ao final brincadeiras e cenas que não deram certo) embora não deixe de fazer louvor a cidade que nunca dorme (onde até o prefeito faz aparição) mitificando mais do que nunca a cerimônia da queda da Bola em Times Square, como se fosse a coisa mais incrível do mundo (um parênteses: já estive lá e já passei por isso. É um montão de gente bêbada amontoada em chiqueirinhos, onde não se consegue ver nada, se morre de frio e não tem graça nenhuma. Pura cilada).

No cinema tudo é muito mais bonito e mais fácil, por exemplo, há coisas que só existem mesmo numa tela e só são possíveis na imaginação da roteirista que propicia ainda por cima um tour por vários lugares bonitos da cidade. Nem preciso explicar que o filme intercala várias histórias paralelas, algumas tristes (o ubíquo DeNiro muito doente num hospital), quase todas românticas. A mais difícil de acreditar é o caso de um rapaz muito jovem (Zac Effron pela primeira vez demonstrando certa vitalidade e possível talento) como um entregador (lá se usa bicicleta e não moto como aqui) que em troca de convites para uma grande festa de Réveillon procura realizar os sonhos e resoluções de ano novo de uma balzaquiana frustrada que acabou de pedir demissão de seu emprego (Michelle Pfeiffer). Assim ele consegue deixá-la pendurado no palco do Radio City Music Hall, visitar uma cidade miniatura num museu, passear de taxi aquático, dirigir lambreta e assim por diante. Enfim, não é mesmo para se levar a sério, mas o roteiro sabe manipular o interesse e inclusive criar certo suspense com a figura do rapaz rico de smoking (Josh) que tenta reencontrar a garota que perdeu no Réveillon passado de que não sabemos a identidade.

Dá-se ao luxo inclusive de ressuscitar o roqueiro já meio amarfanhado Jon Bon Jovi que faz show em dois lugares ao mesmo tempo na tentativa de ressuscitar outro romance que não deu certo (Katherine Heigl faz sua amada chefe de cozinha, mas quem rouba as cenas com alívio cômico é a colombiana Sofia Vergara). Temos ainda Hilary Swank como a vice-presidente encarregada da festa na praça, Halle Berry como uma enfermeira, dois casais que disputam a honra de terem o primeiro bebê do ano e assim ganhar um bônus em dinheiro, a já adolescente Abigail Breslin fugindo de casa e contrariando a mãe Sarah Jessica para ir ao Times Square com sua turma, o mal humorado Ashton Kutcher ficando preso num elevador quebrado com a vizinha Lea (se bem me lembro ele foi o único que sobreviveu do filme anterior, ainda que em outro papel) e uma participação marcante do ator favorito do diretor Hector Elizondo que tem entrada de estrela como um velho mecânico/técnico que é convocado na última hora.

Claro que não é nenhuma grande obra-prima do cinema, mas me parece um filme cheio de estrelas adequado para esta época do ano. E por que nenhum brasileiro, nem a TV Globo teve a idéia de fazer algo parecido com o Réveillon no Rio de Janeiro?


FICHA TÉCNICA
Diretor: Garry Marshall
Elenco: Robert De Niro, Hilary Swank, Sofía Vergara, Ashton Kutcher, Michelle Pfeiffer, Sara Paxton, Sarah Jessica Parker, Katherine Heigl, Jessica Biel, Zac Afron, Abigail Brelin, Carla Gugino
Produção: Josie Rosen, Richard Brener, Toby Emmerich, Mike Karz, Wayne Allan Rice
Roteiro: Katherine Fugate
Fotografia: Charles Minsky
Trilha Sonora: John Debney
Duração: 112 min.
Ano: 2011
País: EUA
Gênero: Comédia Romântica
Cor: Colorido
Distribuidora: Warner Bros.
Estúdio: New Line Cinema / Karz Entertainment / Rice Films
Classificação: 10 anos




0 comentários:

Postar um comentário