11 de jan de 2012

Românticos Anônimos


A melhor tradução do título seria Emotivos Anônimos. Eles não são excessivamente românticos, são excessivamente emotivos, ansiosos, se desesperam com qualquer situação ou exposição acima do normal. Nossa, acho que estou ficando assim, se já não sou... rs. Sobre o filme, é uma comédia romântica francesa muito simpática e gostosa de assistir, previsível como as comédias românticas americanas, mas com personagens e abordagens bem charmosas. 


Minha Cotação: * * * 1/2




CRÍTICA | CINECLICK

ROMÂNTICOS ANÔNIMOS
por Roberto Guerra
http://www.cineclick.com.br/criticas/ficha/filme/romanticos-anonimos/id/2870

Quem já não ficou em pânico diante de alguém por quem se sente atraído? Mãos suadas, palpitações e gagueira são sintomas típicos dos apaixonados mais tímidos. Agora, eleve tudo isso ao cubo e terá uma ideia aproximada dos problemas de Angélique (Isabelle Carré) e Jean-René (Benoît Poelvoorde).

Ele, dono de uma fabrica de chocolates à beira da falência. Ela, uma chocolateira excelente, mas que por sua dificuldade de se relacionar com seus pares não consegue ter uma carreira de sucesso. O encontro dessas duas pessoas com problemas para lidar com o mundo, e entre elas mesmas, é a base do delicioso Românticos Anônimos, do francês Jean-Pierre Ameris.

Delicioso aqui não é força de expressão. A fabricação de chocolate - esta maravilha que comemos quando estamos felizes, comemos quando estamos tristes - serve de pano de fundo para a história, cenário ideal para as desventuras do casal. São de encher os olhos e fazer o espectador salivar as cenas envolvendo a guloseima, a forma como eles desenvolvem novos sabores de chocolate, descrevem minuciosamente cada um deles, o gosto, a sensação que causa na boca, tudo isso faz de Românticos Anônimos um filme que se assiste e degusta ao mesmo tempo.

Diferente da maioria das comédias românticas produzidas em massa em Hollywood, todas sempre muito iguais, a produção mostra ser possível fazer algo interessante mantendo a proposta de humor romântico. E tudo sem apelo sexual exagerado e piadas de mau gosto.

A profundidade dos personagens e suas atuações fazem do longa uma joia rara em meio ao cascalho. A história é conduzida de tal maneira que os protagonistas se tornam pessoas reais, muito em função da química entre Poelvoorde e Carré, ambos perfeitos como dois “emotivos” incorrigíveis. Para completar, um bom elenco de apoio a dar suporte à trama.

Românticos Anônimos tem roteiro espirituoso e inteligente, personagens simpáticos e, acreditem, pouco importa se é possível prever o desfecho da história nos primeiros 15 minutos de projeção. Quando chegar lá, você estará encantado. Leve, sutilmente engraçado e comovente, é perfeito para se ver com quem se ama e, de preferência, com uma caixa de chocolates do lado.


FICHA TÉCNICA
Diretor: Jean-Pierre Améris
Elenco: Benoît Poelvoorde, Isabelle Carré, Lorella Cravotta, Lise Lamétrie, Swann Arlaud, Pierre Niney, Stéphan Wojtowicz, Jacques Boudet, Alice Pol, Céline Duhamel
Produção: Nathalie Gastaldo, Philippe Godeau,
Roteiro: Jean-Pierre Améris, Philippe Blasband
Fotografia: Gérard Simon
Trilha Sonora: Pierre Adenot
Duração: 80 min.
Ano: 2010
País: França/ Bélgica
Gênero: Comédia Romântica
Cor: Colorido
Distribuidora: Imovison
Estúdio: Pan Européenne Production / Studio Canal / France 3 Cinéma / Rhône-Alpes Cinéma / Radio Télévision Belge Francophone (RTBF)
Classificação: 10 anos



0 comentários:

Postar um comentário